Quanto tempo dura a Gravidez? Saiba AQUI!

Em média a gestação dura 280 dias, ou 40 semanas completas.

Este período pode variar, entre 2 semanas antes, e 2 semanas depois data prevista para o parto. Um  estudo demonstrou que 40% das gestantes entram em trabalho de parto num período de 10 dias (5 antes ou 5 depois) da data calculada para o parto, e quase dois terços, 10 dias antes ou depois da data esperada. Um  outro estudo de mais de 20 mil nascimentos, demonstrou que bebês pesando mais de 4,500kg tiveram gestações médias de 288 dias. Já a concepção de gêmeos diminui o tempo de gestação em aproximadamente 3 semanas e as de trigêmeos ou mais, chega 5 ou 6 semanas antes do tempo.

Por mais ansiosas que nós mulheres costumamos ficar em épocas especiais, como gravidez, casamento, data do primeiro encontro, noivado ou até mesmo quando ganhamos a primeira aliança de compromisso, saiba que o estresse só ajuda a piorar nessas ocasiões.

quanto-tempo-dura-a-gestacao

Uma gestação levada por mais de 2 semanas além da data calculada para o parto é considerada prolongada, e o bebê pós-maduro. Quando a gestação é excessivamente prolongada, há 3 possibilidades: erro nas datas de menstruação; a ovulação ocorreu vários dias após o 14 ou 15 (normalmente) dia do ciclo menstrual; ou realmente algumas semanas extras de gestação, além das 40 semanas previstas para o trabalho de parto (Porém, apenas 4% das gestações são verdadeiramente levadas além do tempo médio, não se sabendo ainda, quais os motivos que ocasionam o fato).

As evidências indicam que um bebê grande, não é sinal de uma gestação prolongada, muito pelo contrario, os bebês nascidos depois do tempo, costumam apresentar pele enrugada e flácida, unhas longas, cabelos abundantes e um olhar mais alerta. A superfície da placenta também exibe sinais de senilidade, com grossos depósitos de cálcio.

Entendendo a pós-maturidade

Existe um consenso de que o prolongamento da gestação além de 42 semanas pode colocar em risco o bem-estar fetal. Para os bebês há uma quantidade reduzida de líquido amniótico, e como tendem a expelir mecônio (material grosso e esverdeado que preenche o intestino grosso do feto) para o líquido amniótico, o resultado é uma mistura espessa que pode irritar o tecido dos pulmões do feto e resultar em dificuldades respiratórias após o nascimento.

Quando existe a suspeita de pós maturidade, o médico revisa o histórico menstrual  e a curva de peso da gestante. Se ela ainda estiver ganhando peso, não é provável que esteja passando da data de parto. A quantidade de líquido amniótico é calculada pelo exame abdominal e pode ser auxiliado por uma ultra-sonografia. Na maioria dos casos, essas medidas são amplas evidencias do bem estar do bebê. (LEMBRE-SE: nas ultimas semanas de gestação o pré-natal deve ser semanal, ou até mesmo diário.)

Quando existe necessidade, o médico pode pedir um monitoramento fetal (NST), para medir o nível de estresse do feto, com base nestes dados, o obstetra é capaz de decidir se é necessário induzir o parto ou fazer uma cesariana. A indução geralmente é feita após o exame na gestante para determinar a apresentação do feto e o “apagamento” do colo do útero. Se a cabeça do bebê estiver encaixada na pelve, e o colo, amolecido, fino e parcialmente dilatado, as membranas são rompidas e o parto acontece em poucas horas. A cesariana só é indicada quando existem provas de sofrimento fetal, ou risco para a gestante.

A estimulação dos seios e dos mamilos nas últimas semanas de gestação, também comprovou ser boa para a indução do parto. Não há dúvida de que existe um pronto reflexo para a liberação de ocitocina (hormônio responsável pela lactação) pela glândula pituitária e que em resposta, o útero se contraia.

Importância do Pré-natal

TODA a gestante deve fazer um pré-natal regular e com um obstetra de confiança. Através do pré-natal, a futura mamãe tem como evitar situações de risco para ela e para o seu bebê.

No final da gestação, é muito comum os futuros pais sofrerem de ansiedade, principalmente com a pressão dos familiares, no famoso: “Já nasceu?”. Para evitar preocupações desnecessárias, converse com seu obstetra sempre! Relaxe e fique atenta aos sinas, em caso de dúvidas, ligue para o seu médico sempre que precisar. Ele é o seu melhor aliado nesta hora.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...
loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *